Com as tags: porto Mostrar Comentários | Atalhos

  • Anedota Comentar!
    16 dias · porto   
    facebook twitter reddit whatsapp messenger telegram share

    Sabem como no Porto se chama a um VIP? (Very Important Person)
    ICC!!! (Importante Como o Carago)

     
  • Anedota Comentar!
    195 dias · , , , , , porto, ,   
    facebook twitter reddit whatsapp messenger telegram share

    Num comboio viajavam um Americano um Francês e… 

    Num comboio viajavam um Americano, um Francês e um Português. De repente com o tédio o americano agarra num maço de dólares e atira-os janela.
    – Então pá. Deitaste isso fora? pergunta outro.
    – Eeeh…lá na minha terra há lá muito disto. responde o americano.
    Logo em seguida, o português para não se ficar atrás, agarra numa garrafa de Vinho do Porto e atira-o janela fora.
    – Porra pá, o vinho do Porto é tão bom e jogaste-o fora?
    – Lá na minha há lá muito disto. disse o português.
    O francês que ia muito calado, de repente agarra no português e atira-o pela janela.
    – Lá na minha terra há muito disto porra!
     
  • Anedota Comentar!
    386 dias · , , , , , porto, ,   
    facebook twitter reddit whatsapp messenger telegram share

    Um alentejano apanha um comboio para ir ao… 

    Um alentejano apanha um comboio para ir ao Porto e senta-se ao lado de um senhor muito bem vestido. O alentejano começa a olhar e pergunta: – Por acaso você nunca apareceu na televisão?
    Ao que o Sr. responde: – Sim, eu costumo ir a muitos concursos de cultura geral e por isso o Sr. deve-me conhecer daí. Como a viagem vai ser longa, você por acaso não quer fazer um jogo comigo?
    – Pode ser. – Respondeu o alentejano.
    – Então fazemos assim: como eu tenho mais cultura que o Sr., você faz-me uma pergunta sobre um assunto qualquer e se eu não souber responder, dou-lhe 50 euros. A seguir faço-lhe eu uma pergunta e se não souber a resposta, dá-me só 5. Concorda?
    – Vamos a isso. – Respondeu o alentejano confiante.
    – Então eu faço-lhe a primeira pergunta. Diga-me o nome da pessoa que escreveu “Os Lusíadas”, aquele poeta só com um olho, que dignificou Portugal?
    O alentejano começa a pensar e passados alguns instantes diz: – Nã sei. Ê nã sei leri.
    – A resposta era Luís de Camões. Dê-me os mil escudos e faça-me uma pergunta qualquer.
    – Tomi. Bem, qual é o animali que se o encostar a um chaparro sobe-o com quatro patas e desce-o com cinco patas?
    – Olhe, essa nem eu sei. – Respondeu o homem muito admirado.
    – Então passe para cá os 50 euros.
    – Tome. Mas agora diga-me, que animal é esse?
    – Tamém nã sei. Tome lá 5.
     
  • Anedota Comentar!
    418 dias · , , , , , , , , , , , , , , , , porto, , , ,   
    facebook twitter reddit whatsapp messenger telegram share

    Numa escola de Lisboa onde há alunos de… 

    Numa escola de Lisboa, onde há alunos de vários estratos sociais, durante uma aula de Português, a professora perguntou:
    – Dêem exemplos de frases com a palavra ÓBVIO?
    Cátia Vanessa, uma das alunas mais aplicadas da turma, sempre muito bem vestida, ar de menina bem, respondeu:
    – Senhora professora, hoje acordei bem cedo, ao nascer do sol, depois de uma óptima noite de sono no conforto do meu quarto. Desci a enorme escadaria da minha vivenda e fui à copa onde tomei o pequeno-almoço. Depois de me deliciar com as mais apetitosas iguarias fui até à janela que dá para o jardim. Vi a porta da garagem aberta e que lá se encontrava guardado o Ferrari do meu pai. Pensei cá com os meus botões: ‘É ÓBVIO que o papá foi trabalhar de Mercedes’.
    Luís Cláudio, aluno de família classe média, não quis ficar atrás e disse:
    – Professora, hoje não dormi nada bem porque o meu colchão é um bocado duro, mas apesar disso ainda consegui dormir alguma coisa. Tinha ligado despertador e por isso acordei a horas. Levantei- me cheio de sono, comi um pão torrado com manteiga e tomei café com leite. Quando sai para a escola vi o Fiat Uno do meu pai parado na garagem. Disse cá para comigo: ‘É ÓBVIO que o pai não devia ter gasolina e foi trabalhar de autocarro’.
    Embalado na conversa, Geofredo Motumba Júnior, um preto da Cova da Moura, também quis responder:
    – Féssora, hoje eu quasi num dormiu porqui houve cunfusão lá nos meu rua, com tiro e tudo. Só acordei di manhã porque estava a esmorrer di fome, mas num havia nada pra comer lá nos casa. Espreitei pela janela e viu os minha vó vistido cum os camisola dus Porto e cos jornal dibaixo dus braço e aí eu pensou: ‘É ÓBVIO qui vai cágá. Num sabi ler!!!’.
     

c
compor novo post
j
próxima post/próximo comentário
k
post anterior/comentário anterior
r
responder
e
editar
o
mostrar comentários
t
voltar ao topo
l
iniciar a sessão
h
mostrar/esconder ajuda
esc
cancelar