Com as tags: camponês Mostrar/Esconder Comentários | Atalhos de Teclado

  • Anedota 3:51 em 6 October, 2017 | Comentar!
    camponês   
    share on facebook tweet on twitter post to tumblr +1 on google+

    Um camponês foi ao mercado e comprou um galo para a sua capoeira. Trouxe um, jovem, inquieto, com uma crista escarlate. Esperam-no cinquenta galinhas e um galo velho, antigo senhor da capoeira, que se dirige ao recém-chegado.
    — Estou aqui há muitos anos e já tenho algumas relações sentimentais com meia dúzia de galinhas. Podias deixá-las para mim e assim eu teria um final de vida feliz.
    — Nem pensar! — responde o galo novo. — Aqui, quem passa a mandar sou eu.
    — Compreendo, mas proponho-te um desafio — respondeu o velho. — Vamos fazer uma corrida. Se fores o primeiro, eu deixo de te chatear. De acordo?
    O galo jovem, crente de que ganharia facilmente, condescendeu. O velho galo partiu dando o máximo e o novo logo atrás. De súbito, ouvem-se dois tiros de espingarda e este último cai morto.
    — Não consigo compreender! — murmurou o camponês, arrumando a arma. — Nos últimos dias, é já o sexto galo maricas que eu compro.

     
  • Anedota 23:26 em 5 October, 2017 | Comentar!
    camponês   
    share on facebook tweet on twitter post to tumblr +1 on google+

    Uma jovem citadina passa férias numa quinta. Manhã cedo está no curral, ordenhando uma vaca. Entra o dono da quinta e ela diz-lhe:
    — Não está espantado por me ver aqui?
    Ele responde:
    — Nem por isso. Mais espantado deve estar o boi que está nas suas mãos.

     
  • Anedota 19:15 em 5 October, 2017 | Comentar!
    camponês   
    share on facebook tweet on twitter post to tumblr +1 on google+

    Um camponês vai, pela primeira vez, ao médico, que o manda despir. Reparando que ele não traz cuecas, pergunta-lhe:
    — O senhor não usa um slip?
    — O que é isso?
    — Uma peça de roupa que se veste por baixo das calças. É muito mais asseado e limpo, aquece mais e é mais confortável. A saída do consultório o camponês compra um slip e no dia seguinte veste-o. Depois, inicia o trabalho com o seu tractor. A dada altura, como todas as manhãs, pára e vai para trás de uma árvore fazer a sua necessidade fisiológica. Como não está habituado às cuecas, esquece-se de as tirar. Ao erguer–se, olha para o chão e não vê nada.
    Comenta para si: «Bem dizia o médico que era mais asseado.» Volta para o tractor e confirma: «De facto, é muito mais quente.» Senta-se no assento de metal do veículo e conclui: «… e é realmente muito mais confortável.»

     
  • Anedota 14:49 em 5 October, 2017 | Comentar!
    camponês,   
    share on facebook tweet on twitter post to tumblr +1 on google+

    Abalou para Lisboa a cavalo num burro e chegou a Lisboa, coitado, prendeu o burro lá àquela casa amarela que é o eléctrico, prendeu o burro lá à casa amarela, O carro depois teve que andar e foi-se embora, mas o velhinho foi lá pedir a um hotel se havia lá quartel para ele dormir. Chegou lá, disseram-lhe:
    — Olhe, senhor, só cá há uma cama. Correram tudo! Só cá há um quarto.
    Mas o velhinho pensou que, dormindo debaixo da cama, pagava menos. Deitou-se debaixo da cama. Depois, vieram uns noivos para passar a lua-de-mel, chegaram lá, pediram cama. Diz ele assim:
    — Ó senhor, só há ali um quarto, já não temos mais nada.
    Bem, os noivinhos lá foram para a cama; chegou lá a certa hora da noite, diz ela assim:
    — Ai filho, está-me a saber tão bem que até vejo Lisboa toda. Vai assim o velho, debaixo da cama:
    — Ai, menina, veja se vê o meu burro, que prendi-o a uma casinha amarela e nunca mais o cheguei a ver.

     
  • Anedota 10:41 em 5 October, 2017 | Comentar!
    camponês,   
    share on facebook tweet on twitter post to tumblr +1 on google+

    Barnabé transportava às costas um pesado saco. Passa um compadre, numa carroça, e oferece-lhe-lhe:
    — Suba para aqui, compadre!
    Barnabé agradece, sobe, mas continua com o saco aos ombros. Diz-lhe o outro:
    — Ponha o saco aí, que vai melhor.
    Barnabé responde:
    —Oh, compadre! Já basta o favor de me levar a mim; quanto mais o saco!

     
  • Anedota 6:14 em 5 October, 2017 | Comentar!
    camponês   
    share on facebook tweet on twitter post to tumblr +1 on google+

    Um camponês foi ao registo civil fazer a cédula do filho. O empregado pergunta-lhe:
    — É masculino ou feminino?
    — Não é Marcolino, nem Felismino. É Tono.

     
  • Anedota 1:51 em 5 October, 2017 | Comentar!
    camponês   
    share on facebook tweet on twitter post to tumblr +1 on google+

    O dono do burro, para o ferrador:
    — Há três horas que estou à espera!
    — Primeiro, ferro os cavalos. Depois os burros, que é o seu caso.

     
  • Anedota 21:24 em 4 October, 2017 | Comentar!
    camponês   
    share on facebook tweet on twitter post to tumblr +1 on google+

    Ofereceram um burro ao senhor Bonifácio. O compadre, sabendo do caso, diz-lhe, solícito:
    — Compadre, quando precisar de palha, já sabe: é só abrir a boca.

     
  • Anedota 17:07 em 4 October, 2017 | Comentar!
    camponês   
    share on facebook tweet on twitter post to tumblr +1 on google+

    Um camponês passa por uma loja que tinha as estantes quase vazias, e perguntou com ironia ao caixeiro o que é que se vendia ali. O caixeiro, querendo também troçar dele, disse-lhe em tom aborrecido:
    — Aqui vendem-se cabeças de burro.
    — Grande negócio tem feito esta casa. pelo que vejo, pois não resta senão a tua — respondeu o camponês às gargalhadas.

     

c
compor novo post
j
próxima post/próximo comentário
k
post anterior/comentário anterior
r
responder
e
editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
iniciar a sessão
h
mostrar/esconder ajuda
esc
cancelar