Um advogado importante foi chamado a um tribunal no Alentejo por conta dos caminhos-de-ferro. O caso era que um compadre tinha processado a companhia porque tinha perdido uma vaca numas terras atravessadas pela via férrea.
Antes do julgamento, o advogado chegou a acordo com o compadre, que aceitou uma indemnização de metade do valor que tinha pedido.
Antes de se ir embora, o advogado não resistiu a dizer ao compadre:
— Sabe, a verdade é que eu dificilmente podia ter ganho o caso … É que no dia em que a sua vaca desapareceu o maquinista tinha adormecido na cabina e nem deu por nada…
Respondeu-lhe o compadre:
— Mas eu também não estava nada descansado! É que a minha vaquinha apareceu hoje de manhã…