Duas mulheres conversam.
— Ando a ler um livro magnífico, cheio de suspense. Nunca se sabe se vai acabar numa catástrofe ou num final feliz.
— Ah, sim — diz a outra. — Emprestas-mo? É um policial, não é?
— Não, é um livro de cozinha.