Um homem sem os dois braços chegou ao balcão do bar e pediu:
— Sirva-me uma cerveja.
— Perfeitamente — disse o barman, e encheu um copo de cerveja ao freguês.
— Queira desculpar — falou o aleijadinho —, mas não tenho os dois braços. Quer ter a gentileza de segurar o copo para que eu possa beber?
— Com todo o prazer — e o barman segurou o copo na posição adequada.
— Agora, será que pode tirar o lenço do bolso das minhas calças e limpar a espuma dos meus lábios?
Novamente, o barman atendeu-o.
— E do bolso esquerdo das calças pode pegar no dinheiro para pagar a cerveja?
O barman tirou o dinheiro, registou na caixa e colocou o troco no bolso das calças do aleijadinho, que logo desabafou:
— É duro ser assim aleijado. Fico sempre encabulado por ter de pedir às pessoas para fazerem as coisas para mim. Por falar nisso, onde fica a casa de banho?
— Não temos — apressou-se a dizer o barman.