Um jovem que tinha acabado há pouco tempo uma especialização em eficácia na organização da produção, ia um dia tranquilamente de carro pelo meio do Alentejo.
Às tantas deparou-se-lhe uma cena que por pouco não o enlouqueceu: um compadre segurava um porco acima da cabeça e andava à volta de uma azinheira a levar o porco de bolota em bolota.
O rapaz, jovem e generoso, parou o carro e foi falar com o compadre:
— Amigo, tive uma ideia que talvez lhe interesse: porque não sacode as bolotas da árvore? Depois punha o porco no chão e com isso poupava imenso tempo…
O homem parou, reflectiu, pôs novamente o porco à cabeça e respondeu com um encolher de ombros:
— Que é o tempo para um porco?…