Um homem estava doente em consequência de repetidos e enormes abusos de bebidas alcoólicas.
O médico recomendou-lhe a maior sobriedade. Indo visitá-lo, vê em cima da mesa de cabeceira uma garrafa de vinho e um copo:
— O que é isto? Por acaso, a despeito da minha proibição, bebeu vinho sem água?
— Não, doutor. Deitei-lhe um pouco de aguardente.