Havia um espermatozóide que era coxo

Havia um espermatozóide que era coxo, e o coitado nunca chegava a tempo à saída da bolsa dos testículos, pelo que não sabia o que era a alegria de quando passavam todos contentes do homem para a mulher e passava a vida a lamentar-se.
Os outros então prometeram-lhe que da próxima vez o levariam ao colo à frente deles. E assim foi.
Ele lá saiu todo contente até que passado pouco tempo desata aos gritos :

  • Traição ! Traição ! Caí numa sarjeta !