À porta do cemitério há uma grande bicha de homens. Passa um outro que, por curiosidade, pergunta o que aconteceu. Responde-lhe o que estava à porta, com um lobo-de-alsácia
pela trela:
— Foi o enterro da minha sogra, mordida na garganta por este meu cão.
— Ah! — diz o outro, um pouco espantado. — Olhe lá! E o senhor não me quer vender esse belo animal?
— Bem, talvez se chegue a um acordo. Entre aí na bicha e espere pela sua vez.