Com as tags: tolo Mostrar/Esconder Comentários | Atalhos de Teclado

  • Hugo 15:19 em 30 November, 2013 | Comentar!
    , tolo   

    Um pastor que guardava ovelhas, um dia deixou o comboio matar uma. Ao ouvir os ralhos do patrão, o pastor disse-lhe:
    — Tem o senhor muita sorte, porque o comboio veio a direito; se viesse atravessado matava-as todas.

     
  • Hugo 15:19 em 30 November, 2013 | Comentar!
    tolo   

    Um camponês compra bilhete para ir no comboio. Mete-o na algibeira e marcha a pé, junto à linha férrea, até chegar ao destino. Aí, já muito cansado, desabafou: Se soubesse que o comboio era assim, tinha vindo a pé, que não me cansava mais.

     
  • Hugo 15:19 em 30 November, 2013 | Comentar!
    tolo   

    — Que horas são?
    — Falta um quarto.
    — Mas falta um quarto para as quantas?
    — Não sei. Só tenho o ponteiro dos minutos.

     
  • Hugo 15:19 em 30 November, 2013 | Comentar!
    tolo   

    Um novo rico foi ao teatro. Chegou e o concerto já tinha começado.
    — Que estão a tocar?
    — A Nona Sinfonia de Beethoven!
    — Credo! Já a nona? Nunca pensei que chegava tão tarde!

     
  • Hugo 15:18 em 30 November, 2013 | Comentar!
    tolo   

    — Entre amigos:
    — Que horas são isto? Umas nove e tal, não?
    O outro, consultando o relógio:
    — Ainda não. Faltam dez minutos para as nove e tal.

     
  • Hugo 15:18 em 30 November, 2013 | Comentar!
    tolo   

    — Vai-me comprar uma caixa de fósforos mas que não sejam como os de ontem, que não acendiam.
    — Aqui estão os fósforos. Estes são bons. Experimentei-os todos, e eles acenderam.

     
  • Hugo 15:18 em 30 November, 2013 | Comentar!
    tolo   

    À noite, num café, um grupo de tipos parecia estar numa animada festarola. O dono do estabelecimento ia servindo as bebidas e a certa altura teve curiosidade e perguntou:
    — Porque estão tão animados? Têm alguma coisa a celebrar?
    — Sim — explicou logo um. — Acabámos um puzzle e só levámos dois meses!
    — Dois meses?! Mas isso é imenso tempo! — exclamou o outro.
    — O senhor diz isso porque não viu o que dizia na caixa!
    — E o que era? — perguntou o outro.
    — 2 a 3 anos!

     
  • Hugo 15:18 em 30 November, 2013 | Comentar!
    tolo   

    Dois tipos entram numa taberna e o taberneiro diz–lhes:
    — Contaram-me agora uma adivinha e queria saber se vocês são capazes de acertar na resposta: «Qual é a coisa qual é ela que tem quatro pernas e cheira mal que tresanda?»
    Nenhum dos dois acerta, de maneira que o outro diz:
    — São vocês os dois!
    Os dois saem da taberna a sentirem-se gozados. Pouco depois encontram dois amigos e perguntam-lhes logo:
    — Vejam lá se adivinham esta: «Qual é a coisa qual é ela que tem quatro pernas e cheira mal que tresanda?»
    — Não sabemos — respondem os outros.
    — Somos nós os dois …

     
  • Hugo 15:18 em 30 November, 2013 | Comentar!
    tolo   

    O Chico, o Manei e o Quim andavam perdidos no deserto. Já não tinham camelos, nem comida, nem sequer uma gotinha de água, mas encontraram uma velha lâmpada de latão. Esfregaram a lâmpada e surgiu-lhes de repente um génio que lhes disse:
    — Concedo-vos um desejo a cada um, mas olhem que é mesmo só um!
    O Chico, que era muito caseiro, pediu:
    — Eu queria era estar em casa com a minha Maria…
    E de repente desapareceu da vista dos outros.
    O Manei pediu:
    — Eu queria era estar num hotel da capital, numa piscina cheia de mulheres boas!
    E também ele desapareceu subitamente.
    E o Quim percebeu que estava sozinho no meio do deserto, sem camelo, nem comida, nem sequer uma gotinha de água.
    — Quem me dera que o Chico e o Manei estivessem aqui comigo…

     
  • Hugo 15:18 em 30 November, 2013 | Comentar!
    tolo   

    A visita pergunta ao ricaço, dono da casa:
    — Este quadro é de Rafael?
    O ricaço, agastado:
    — Aqui na minha casa não há nada do Rafael ou do Francisco. Tudo isto é meu, muito meu.

     
  • Hugo 15:18 em 30 November, 2013 | Comentar!
    tolo   

    — Mora aqui o senhor Pinto?
    — Não. Aqui mora é o senhor Galo.
    — Ah, sim, claro. Já há anos que não o vejo.

     
  • Hugo 15:18 em 30 November, 2013 | Comentar!
    tolo   

    A lâmpada fundiu-se, a mãe pediu um escadote ao vizinho e o moço desaparafusou-a. O pai mandou buscar outra lâmpada, mas quando o moço voltou, o vizinho do escadote tinha saído.
    — Não faz mal — diz o pai —. Eu agacho-me, tu pões-te em pé, em cima de mim, e atarrachas a lâmpada.
    Assim fizeram. Mas passou-se um bocado e o moço não saltava para o chão.
    — Atão que raio é isto? Já estou cansado desta posição. Que diabo é que estás a fazer?
    — Atão o que há-de ser?! Estou à espera que o pai ande à roda!

     
  • Hugo 15:17 em 30 November, 2013 | Comentar!
    tolo   

    À porta de um café, dois amigos encontram-se:
    — Olá, meu caro Castro!… Ainda bem que te encontro! Vem jantar comigo.
    — Obrigado. Mas hoje não posso — contestou o Castro —. Estou Comprometido. Vou ver o «Hamlet».
    — Não faz mal. Vai ter com ele e trá-lo para jantar connosco…

     
  • Hugo 18:50 em 28 November, 2013 | Comentar!
    , tolo   

    — Rapaz: onde puseste a carta que deixei em cima da secretária?
    — Deitei-a no correio.
    — Estúpido! Não viste que ainda não tinha direcção no sobrescrito?
    — Vi, sim, senhor. Mas pensei que o patrão não queria que se soubesse para onde ela ia.

     
  • Hugo 18:47 em 28 November, 2013 | Comentar!
    , tolo   

    Abalou para Lisboa a cavalo num burro e chegou a Lisboa, coitado, prendeu o burro lá àquela casa amarela que é o eléctrico, prendeu o burro lá à casa amarela, O carro depois teve que andar e foi-se embora, mas o velhinho foi lá pedir a um hotel se havia lá quartel para ele dormir. Chegou lá, disseram-lhe:
    — Olhe, senhor, só cá há uma cama. Correram tudo! Só cá há um quarto.
    Mas o velhinho pensou que, dormindo debaixo da cama, pagava menos. Deitou-se debaixo da cama. Depois, vieram uns noivos para passar a lua-de-mel, chegaram lá, pediram cama. Diz ele assim:
    — Ó senhor, só há ali um quarto, já não temos mais nada.
    Bem, os noivinhos lá foram para a cama; chegou lá a certa hora da noite, diz ela assim:
    — Ai filho, está-me a saber tão bem que até vejo Lisboa toda. Vai assim o velho, debaixo da cama:
    — Ai, menina, veja se vê o meu burro, que prendi-o a uma casinha amarela e nunca mais o cheguei a ver.

     
  • Hugo 18:46 em 28 November, 2013 | Comentar!
    , tolo   

    Barnabé transportava às costas um pesado saco. Passa um compadre, numa carroça, e oferece-lhe-lhe:
    — Suba para aqui, compadre!
    Barnabé agradece, sobe, mas continua com o saco aos ombros. Diz-lhe o outro:
    — Ponha o saco aí, que vai melhor.
    Barnabé responde:
    —Oh, compadre! Já basta o favor de me levar a mim; quanto mais o saco!

     

c
compor novo post
j
próxima post/próximo comentário
k
post anterior/comentário anterior
r
responder
e
editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
iniciar a sessão
h
mostrar/esconder ajuda
esc
cancelar