Com as tags: exagero Mostrar/Esconder Comentários | Atalhos de Teclado

  • Hugo 17:34 em 29 November, 2013 | Comentar!
    exagero   

    — Na minha terra é que há grandes coisas. Olha, agora, temos lá uma couve com uns vinte metros de altura e que pesa aí uns trezentos quilos.
    — Na minha também há coisas muito grandes. Agora estão lá uns trinta homens a trabalhar numa panela, já há que tempos. Vai ser uma coisa desconforme. De altura tem quase cinquenta metros e de largo tem para aí uns vinte e cinco.
    — Mas para que é que vocês querem uma panela tão grande?
    — É para cozer a couve que há lá na tua terra.

     
  • Hugo 17:33 em 29 November, 2013 | Comentar!
    , exagero   

    Um homem ainda novo, muito gordo, apresentou-se ao director de um circo a pedir um emprego, e estabeleceu-se entre eles o seguinte diálogo:
    — Quem és tu?
    — Sou o Tomás, o papa-ovos.
    — Qual é a tua habilidade?
    — Como três dúzias de ovos de galinha e três dúzias de ovos de pata em cada espectáculo.
    — Conheces o nosso programa?
    — Como é?
    — Damos quatro espectáculos por dia.
    — Está bem.
    — E pensas que podes fazer isso?
    —Tenho a certeza de que posso.
    — Aos sábados damos seis espectáculos.
    — Muito bem.
    — Nos dias feriados geralmente damos um espectáculo por hora.
    Finalmente, desta vez, o jovem deu sinal de indecisão.
    — Nesse caso, há-de concordar numa coisa, antes de eu me dispor a assinar o contrato.
    — O que é?
    — Não me importo com o tempo em que tenha de trabalhar, mas o senhor tem de me dar tempo para ir ao hotel tomar as minhas refeições habituais.

     
  • Hugo 17:33 em 29 November, 2013 | Comentar!
    canalizador, exagero   

    O canalizador:
    — Pronto; aqui estou eu. Desculpem ter demorado mais um bocadinho.
    O dono da casa (já com a água por cima do joelho):
    — Ah! Está bem. Enquanto estivemos à sua espera, ensinei a minha mulher a nadar.

     
  • Hugo 17:33 em 29 November, 2013 | Comentar!
    exagero   

    Um indivíduo passa na rua e vê sair labaredas de uma água-furtada. Vai ter com a porteira e diz-lhe que a água-furtada está a arder. Batem à porta, vem a senhora, e dizem-lhe que as labaredas já se vêem da rua.
    — Oh, não há problema! É que o meu marido é bombeiro e trouxe trabalho para casa.

     
  • Hugo 17:32 em 29 November, 2013 | Comentar!
    exagero   

    Um turista, que passava numa aldeia, perguntou a outro natural da mesma.
    — Esta terra é saudável?
    — Muito saudável. Em dez anos só me lembro de ter morrido um homem.
    — Quem foi?
    — O médico. Coitado, morreu de fome!

     
  • Hugo 17:32 em 29 November, 2013 | Comentar!
    exagero   

    Dois homens conversam.
    — Sabes lá… é complicado, à noite, adormecer o meu filho. Eu e a minha mulher demoramos horas a pô-lo a dormir.
    — Mas há processos para se conseguir isso. O meu pai, por exemplo, tinha um.
    — Para te adormecer quando eras pequeno?
    — Sim.
    — Isso interessa-me. Como é que ele fazia?
    — Pegava-me ao colo e atirava-me ao ar, cada vez mais alto.
    — E com isso adormecias?
    — Claro. Assim que batia com a cabeça no tecto.

     
  • Hugo 17:32 em 29 November, 2013 | Comentar!
    exagero   

    Dois amigos encontram-se.
    — Foi bom encontrar-te. Como foram as duas semanas de férias? Correu tudo bem na minha casa de campo? Valeu a pena eu ter-te emprestado as chaves?
    — Ali, foi tudo óptimo! Só ouve um probleminha: o teu papagaio morreu.
    — Como? O meu papagaio que veio da Amazónia! Que me cuslou uma fortuna! Como foi?
    — Olha, morreu porque comeu carne de cavalo estragada.
    — Que carne de cavalo estragada?
    — Dos teus cavalos. Morreram de cansaço ao puxarem uma carroça com bidões de água para a casa.
    — Os meus cavalos de raça! Os meus cavalos premiados! Porque é que eles estavam a puxar uma carroça?
    — Para apagar o fogo.
    — Que fogo, meu Deus?
    — Da tua casa. Ardeu.
    — A minha casa de campo? A casa que eu levei anos para construir! Como é que se incendiou?
    — Bom, uma vela caiu na cortina; e, da cortina para casa, foi um instante.
    — Mas para que era a vela, se a casa tem electricidade?
    — Tens convir que um velório fica muito mais bonito com velas.
    — Que velório?
    — Ah, esqueci-me de te dizer. O velório era da tua mulher. Ela chegou lá de madrugada sem avisar, eu achei que era um ladrão e disparei um tiro nela.
    — Ah, meu Deus…
    O homem não aguentou mais. Completamente desesperado, caiu morto no chão.
    — Bolas! Este tipo era louco pelo papagaio…

     
  • Hugo 17:32 em 29 November, 2013 | Comentar!
    exagero   

    Uma senhora entra numa drogaria da província e pede:
    — Uma ratoeira, se faz favor. Mas depressa, tenho de apanhar o comboio.
    O empregado muito calmo:
    — Assim tão grande não temos.

     
  • Hugo 17:31 em 29 November, 2013 | Comentar!
    exagero   

    Num lugarejo da Suécia havia um lenhador extraordinário: baixinho, magrinho, mas, diziam, conseguia derrubar dez árvores em dez minutos. A sua fama, como era de se esperar, espalhou-se pelo mundo todo. A CNN mandou um repórter entrevistá-lo:
    — É verdade que você derruba dez árvores em dez minutos?
    — Às vezes mais.
    — E onde foi o primeiro emprego?
    — No deserto do Sara!
    — Essa é boa! No Sara não há nenhuma floresta.
    — Agora!

     
  • Hugo 17:31 em 29 November, 2013 | Comentar!
    exagero   

    De um navio de passageiros é avistado um homem barbudo numa pequena ilha, que grita desesperadamente e faz sinais com as mãos.
    — Quem é? — pergunta um passageiro ao capitão
    — Não faço a menor ideia. Todos os anos, quando a gente passa por aqui, ele fica assim louco.

     
  • Hugo 17:31 em 29 November, 2013 | Comentar!
    exagero,   

    De visita a Paris, um emir sente violentas dores de barriga. O seu médico pessoal diagnostica uma crise de apendicite. O emir chama o secretário e ordena-lhe:
    — Vai já comprar um hospital!…

     
  • Hugo 17:31 em 29 November, 2013 | Comentar!
    , exagero   

    Qual é o cúmulo da força?
    Dobrar uma esquina.

     
  • Hugo 17:30 em 29 November, 2013 | Comentar!
    , exagero   

    Qual é o cúmulo da pequenez?
    Um homem tão pequeno, tão pequeno, que, se cospe, morre afogado
    no cuspo.

     
  • Hugo 17:30 em 29 November, 2013 | Comentar!
    , exagero   

    Qual é o cúmulo da distracção?
    Um sujeito estar aflito para ir à casa de banho. Chegar ao urinol, desapertar os botões do colete, tirar a gravata para fora e urinar pelas calças abaixo.

     

c
compor novo post
j
próxima post/próximo comentário
k
post anterior/comentário anterior
r
responder
e
editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
iniciar a sessão
h
mostrar/esconder ajuda
esc
cancelar