Ultimas Anedotas ou Piadas Publicadas Página 238 Mostrar/Esconder Comentários | Atalhos de Teclado

  • Hugo 14:43 em 30 November, 2013 | Comentar!
      

    O dia em que o noivo se dirige à casa da noiva para pedir ao pai dela a sua mão (da filha, é claro) em casamento é uma das ocasiões mais tensas na vida de um noivo apaixonado. Muitas vezes o noivo ainda não sabe se o pai da noiva concorda ou não com o casamento. Não é raro uma negativa do pai. Sem saber o que lhe aguarda, o nosso herói vai até a casa da noiva. Reunião formal, toda a família na sala de visitas: pai, mãe, irmãos e irmã da noiva. O noivo fala o motivo da visita, coisa que todo mundo já sabe.

    • Eu vim pedir a mão de sua filha em casamento.
    • Qual delas? – pergunta o pai. – A maior ou a menor?
    • Desculpe, mas eu não sabia que a sua filha tinha uma mão maior que a outra.
     
  • Hugo 14:42 em 30 November, 2013 | Comentar!
      

    Ela, na noite do casamento, para o marido, que se mostrava absolutamente desinteressado:
    — Olha, querido: quando um homem e uma mulher se casam, à noite… têm de fazer… aquela coisa.
    — Qual coisa?
    — Ora… aquilo que vês os cãezinhos fazerem na rua. Percebes?
    — O quê?! Não me digas que tenho de passar a noite toda a fazer chichi contra a parede!

     
  • Hugo 14:42 em 30 November, 2013 | Comentar!
      

    Na noite do casamento, ela foi despir-se para a casa de banho. Demorava-se, e o marido, achando já muita a demora:
    — ÓMaria: anda daí, vem-te deitar.
    — Espera um bocado que eu já vou.
    — Mas anda daí.
    — Sabes?… É que eu tenho vergonha.
    — Tens vergonha de quê? Anda daí!
    — Sabes? É que eu já não estou virgem…
    — Deixa lá, rapariga. Eu também não quero fazer nenhum presépio.

     
  • Hugo 14:42 em 30 November, 2013 | Comentar!
      

    No dia do casamento os noivos vão a Sintra e jantam no hotel, à mesa redonda. No regresso a Lisboa, ele pergunta à noiva do que é que ela tinha gostado mais. Ela hesitou um momento, mas, como ele insistisse, respondeu com toda a ingenuidade:
    — Olha: do que mais gostei foi daquele oficial de cavalaria que ficava em frente de nós.

     
  • Hugo 14:42 em 30 November, 2013 | Comentar!
      

    Um moço faz a corte a uma rapariga. Ela anuncia ao pai que se quer casar. Diz-lhe o pai:
    — Com esse rapaz? Bom… e ele tem dinheiro?
    — É extraordinário! Vocês, os homens, são todos a mesma coisa! Foi exactamente o que ele me perguntou a seu respeito.

     
  • Hugo 14:41 em 30 November, 2013 | Comentar!
      

    Os namorados passeiam no Jardim Zoológico. Ela, admirada, pergunta:
    — Porque será que hoje não aparecem macacos?
    — É porque… estão no tempo do amor. Passam todo o dia lá dentro, a namorar.
    — Ah! E se a gente procurasse atraí-los aqui, com amendoins, eles virão?
    — Tu… se o caso fosse contigo, virias?

     
  • Hugo 14:40 em 30 November, 2013 | Comentar!
      

    A futura sogra para o futuro genro:
    — Oiça lá… Você quer a minha filha pra casar ou prò que é?
    — É prò que é…

     
  • Hugo 14:40 em 30 November, 2013 | Comentar!
      

    — Então, o teu namorado?
    — Tive de lhe dar uma bofetada!
    — Muito atrevido?
    — Não. Muito ensonado!

     
  • Hugo 14:40 em 30 November, 2013 | Comentar!
      

    Ela: Ó Raul, eu amo-te por seres o melhor homem deste mundo!
    Ele: E eu a ti, por seres tão franca e tão verdadeira!

     
  • Hugo 14:40 em 30 November, 2013 | Comentar!
      

    — O Raul é um rapaz sem palavra!…
    — Não apareceu ao encontro?
    — Não! Esperei por ele desde as sete até às sete e meia!
    — E a que horas tinham combinado encontrar-se?
    — Às seis horas…

     
  • Hugo 14:40 em 30 November, 2013 | Comentar!
      

    Ela: Amar-me-ás assim quando casarmos?
    Ele: Claro! Eu sempre gostei muito de mulheres casadas.

     
  • Hugo 14:40 em 30 November, 2013 | Comentar!
      

    — Querida: há cinco meses que nos namoramos e tenho vindo todas as noites à tua casa.
    — E então?
    — Então… creio que já é altura de nos casarmos para poder sair de noite com os meus amigos!

     
  • Hugo 14:39 em 30 November, 2013 | Comentar!
      

    Diz a mãe para a filha:

    • Ó filha, tu gostas do teu namorado?
    • Gosto! Ele até me chama: minha gatinha, minha coelhinha!
    • Pois é! Mas depois os animais vão crescendo. É minha vaca, minha baleia!…
     
  • Hugo 14:39 em 30 November, 2013 | Comentar!
      

    A filha ao contar ao pai que tinha um namorado, ele começa logo a perguntar:

    • Ao menos é um rapaz poupado?
    • É papá, olha ainda na semana passada quando lá fui a casa e os pais dele não estavam, a primeira coisa que ele fez foi apagar a luz!
     
  • Hugo 14:39 em 30 November, 2013 | Comentar!
      

    O rapaz foi jantar a casa dos futuros sogros.
    A dada altura, já depois de ter comido uma farta feijoada, está ele sentado no sofá quando o cãozito da família se vem sentar ao seu lado.
    De repente, sem contar, o rapaz solta um peido silencioso mas muito mal cheiroso.
    O rapaz começa a ficar com receio que alguém repare.
    A mãe da rapariga sente o cheiro, vira-se para o cão e diz:

    • Boby, sai daí.

    O rapaz pensa: “Olha, o cão ficou com as culpas. Porreiro… Bem que posso largar outro!”
    Dito e feito, o rapaz larga outro peido ainda mais potente.
    A senhora sente novamente o cheiro e diz novamente ao cão:

    • Boby, sai do sofá!

    O rapaz pensa: “Bolas, resulta mesmo bem. Vou aproveitar para mandar mais um.”
    Novo peido, desta vez ainda mais potente e a senhora grita para o cão:

    • Boby, tu sai mas é daí que ele ainda te mata!
     

c
compor novo post
j
próxima post/próximo comentário
k
post anterior/comentário anterior
r
responder
e
editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
iniciar a sessão
h
mostrar/esconder ajuda
esc
cancelar